Como o perfeccionismo pode atrapalhar sua realização profissional

Para a pesquisadora e escritora Brené Brown, perfeccionismo é um escudo de 20 toneladas que carregamos conosco, achando que ele nos protegerá, quando, de fato, é aquilo que realmente nos impede de sermos vistos.

Antes de ler o livro “A coragem de ser imperfeito”, dessa mesma escritora, nunca tinha pensado dessa maneira, para mim uma dose de perfeccionismo era algo bom, mas nunca tinha parado para refletir, com esse olhar sobre o tema.

A maior parte dos perfeccionistas crescem sendo reconhecidos por suas boas conquistas, como boas notas, boas maneiras, regras cumpridas, e assim vai, e que de alguma maneira se condiciona com a crença de que “Eu sou o que eu realizo e quão bem o realizo”, ao invés de focar em si mesmo: “Como posso melhorar?”, mas o perfeccionismo é focado nos outros: “O que eles vão pensar?”.

O medo de falhar, de cometer erros, de não corresponder às expectativas dos outros e de ser criticado mantém o perfeccionista fora da arena da vida, onde a competição e o esforço saudável acontecem.

O perfeccionismo pode ser considerado destrutivo, simplesmente porque não existe perfeição, essa é uma meta inatingível, porém muitas pessoas se apegam ao perfeccionismo, pois se acostumam ao propósito de aparentar perfeição e quando algo não sai como o desejado, vem o sentimento de culpa que acaba trazendo muito sofrimento e autocríticas para a pessoa.

Se quisermos no tornar livres do perfeccionismo precisamos parar de nos apegar no: “O que as pessoas vão pensar” para “Eu dei o meu melhor?”, e isso tem relação com a auto aceitação, pois para nos aceitarmos, para entendermos quem somos, em que acreditamos e sobre a natureza imperfeita de nossa vida, precisamos pegar leve nas cobranças e apreciar a beleza de nossas falhas e imperfeições; precisamos ser mais amorosos e receptivos com nós mesmos e com os outros.

Não me esqueço quando estava liderando um projeto em uma empresa onde trabalhei, quando cometi uma falha de execução e tive que receber um feedback de melhoria da minha Gerente na época, fiquei arrasada, por um tempo fiquei me rotulando como uma péssima profissional, até que comecei a pensar de forma mais amorosa comigo mesma, afinal estava me dedicando ao máximo àquele projeto. Passei a me colocar fora da cena para avaliar o que eu poderia ter feito diferente para que aquilo não mais acontecesse. E ao final, para minha alegria recebi até um aumento por mérito por esse projeto, isso foi uma realização imensa para mim, percebi que é humano cometer falhas e que precisamos avaliar a situação, mas nos respeitando em primeiro lugar.

Procure compreender suas falhas ao invés de se criticar severamente, mas com equilíbrio para que não alimentemos sentimentos negativos ao nosso respeito. É fundamental acreditarmos no nosso valor, assumindo quem verdadeiramente somos, isso é assumir nossas imperfeições ou invés de basearemos nossa vida no que imaginamos que devemos ser, colocando nosso valor à aprovação dos outros.

Lembre-se: Um projeto imperfeito colocado em prática pode ser melhor do que o projeto que nunca sai do papel…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>